Uma das coisas mais surpreendentes quando trabalhamos com restauração de um patrimônio histórico é a pintura. No caso do Palacete Gallotti, que fica em Tijucas e foi inaugurado em 1898, primeiro foi feito um estudo prospectivo em todas as esquadrias e alvenarias internas. Identificamos as camadas de tintas existentes e as possibilidades de pinturas decorativas ou artísticas.

À esquerda, prospecção pictórica de alvenaria interna. Na imagem à direita, prospecção de esquadria. Cada janela apresenta uma das camadas de tinta encontradas naquele local, sendo numeradas em ordem crescente, da atual para as mais antigas.

Foram encontrados vários padrões decorativos na técnica estêncil – técnica utilizada para realização de pinturas decorativas através da utilização de gabaritos contendo imagens figurativas ou abstratas – como barrados baixos, barrados superiores ou mesmo aplicação em toda alvenaria. Foram definidos os tamanhos dos quadros que ficariam abertos para então começar o restauro dos mesmos. O objetivo era proporcionar a compreensão do observador à decoração das paredes.

À esquerda, pintura decorativa remanescente. À direita, restauração em andamento.

Para definição da pintura externa no Palacete Gallotti também foram realizados estudos prospectivos que indicaram três fases de cores para o edifício. A partir da pesquisa histórica, entrevistas e relatos orais, bem como a comparação das prospecções realizadas em diversas paredes do edifício, ficou claro que a cor rosa seria a mais indicada. Não apenas tecnicamente, mas também por ser aquela que ainda integra a memória coletiva, tendo sido citada por todos os entrevistados como a que mais simbolizava o edifício.

Na imagem à esquerda, uma das prospecções demonstrando as quatro fases de cor para o edifício: a primeira que é a atual, a segunda em rosa, a terceira em vermelho e marrom escuro, a quarta em bege claro.
À esquerda, prospecção pictórica da parede externa e à direita, fragmento de tinta de camada pictórica.

A restauração do patrimônio é um trabalho diferenciado de tratamento dos elementos que fazem parte da edificação histórica, como é o caso da estrutura, da pintura etc. Resgatar técnicas utilizadas ao longo da vida do edifício e da sua estrutura é uma ação primordial para se chegar a um bom resultado técnico, respeitando as intenções construtivas originais.

Pinturas decorativas recuperadas.
Quadros abertos com pinturas decorativas recuperadas.